terça-feira, 3 de dezembro de 2013

ESTUDO DO LIVRO DE HEBREUS - Cap. 2 - Verso por verso - Ministrado nos cultos de Sabedoria/Doutrina - Igreja Betel Guará-DF

ESTUDO DO LIVRO DE HEBREUS – Cap. 2

O Autor desconhecido vai nos ensinar, 
                - Lembra-nos de como infinitamente grande é a oferta de salvação que o Senhor fez para a igreja,
- De como é importante que venhamos obedecer a todas as condições associadas a esta oferta,
- Ele também revela que a redenção da raça caída envolveu a exaltação do Filho Unigênito de Deus, e que primeiro ele deve participar da natureza humana, tornando-se familiarizado com os problemas e doenças do homem caído. 
- Por sua própria morte, ele desde o resgate, e no decorrer dessas experiências, foi treinado para a posição mais alta possível no universo à direita do trono de Deus. 
- O capítulo termina por revelar a compreensão de nosso Senhor de nossas fragilidades, o que deve levar-nos a levantar os nossos corações em ação de graças que são dignos de ser associado a ele em seu trabalho, tanto agora como no futuro.

VERSO 1 "Portanto, nós devemos dar a mais diligência para as coisas que já temos ouvido, para que em tempo algum nos desviemos delas."
Cristo é agora exaltado acima dos anjos, portanto, fala com a autoridade máxima e do ponto de vista completa experiência de que quando ele fala que não é uma questão de luz que pode apagar ignorar ou esquecer. Estamos atendendo um pensamento similar em Provérbios 4:13, que diz: "Apega-te à instrução e não a largues; guarda-a, porque ela é a tua vida."
Nosso interesse deve ser aumentado e se intensificado à medida que apreciarmos mais plenamente a dignidade e autoridade de Cristo, Aquele que nos falou nestes últimos dias. Para os filhos de Deus.
O Tempo e os acontecimentos estão passando. Nós não podemos ficar parados. Se quisermos ir adiante, devemos dar especial atenção às mensagens de nosso Senhor Jesus. Apesar de nossas inclinações naturais e de outras influências (Lei), devemos manter nossa mente com firmeza e determinação para a Palavra de Deus, a verdade.
Todo o pensamento deste verso é que a nossa vida espiritual depende de nossa dar atenção palavra do Mestre, e não podemos dar ao luxo de tratá-lo ou ignorá-lo. Observando-se vital para a nossa existência!

VERSO 2 "Porque, se a palavra falada pelos anjos permaneceu firme, e toda transgressão e desobediência recebeu a justa recompensa."
Esses "anjos" são aqueles usados ​​por Deus no Pacto da Lei, que, Paulo explica, (Gl 3:19)"...foi posta pelos anjos na mão de um mediador." O Pacto da Lei foi rigorosamente aplicado pela palavra "falada pelos anjos permaneceu firme “, que é .
A palavra “transgressão” significa - a caminhar ao lado de - sugerindo uma possível apresentação da justiça, enquanto, na verdade, ultrapassando os requisitos da lei.
'Desobediência' significa “uma audição errada, imperfeita." Aqueles que desobedeceram o Pacto da Lei recebeu o castigo, a justiça foi a base da aliança.

VERSO 3 "Como escaparemos nós, se negligenciarmos tão grande salvação, a qual, começando a ser anunciada pelo Senhor, e foi confirmado para nós, por que a ouviram."
Esta "grande salvação" é a oferta mais maravilhosa de todos os tempos que foi feita ao homem. Como podemos “escapar”, isto é, como podemos deixar de sofrer perdas e “descuidarmos” para dar atenção aos termos e condições (Lei) sob os quais podemos esperar atingir uma recompensa tão gloriosa? É uma joia de valor inestimável, e como seria trágico que alguém deixe escapar dele simplesmente por negligência!
Vamos nos esforçar para manter o nosso amor pela verdade, a vontade revelada de Deus, passando por cima de seus recursos de forma contínua. Olhar para Lei (segui-la) é negligenciar o que o Senhor tem proporcionado como um meio pelo qual podemos alcançar a grande salvação. (Filipenses 3:14) prossigo para o alvo pelo prêmio da vocação celestial de Deus em Cristo Jesus”, a "vocação celestial" (Há 3:1), não havia sido oferecido ao povo de Deus. Mas Jesus fez isso (João 14:2) Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito; vou preparar-vos lugar”. O relacionamento de Deus com a semente natural de Abraão foi projetado para prepará-los para esta chamada especial. Mas quando Jesus veio a eles, poucos o receberam (João 1:11) Veio para o que era seu, e os seus não o receberam”, então, a chamada foi para os gentios.
Este convite especial, ou 'Alto Chamado', foi tão importante que o Pai Celestial escolheu seu Filho amado como o único a apresentá-lo, o que era para ser o 'capitão' daqueles que se esforçam para alcançar a salvação tão grande.

VERSO 4: “Testificando Deus juntamente com eles, por sinais e prodígios, e por múltiplos milagres e dons do Espírito Santo, distribuídos segundo a sua vontade”.
Com apoio de porta-vozes humanos que, no início da época, deram testemunho de Jesus, e da "grande salvação", que começou a ser falado por ele, foi o próprio Deus, o Pai Celestial. Seu testemunho foi dado pela exibição de seu poder como manifestado em muitos milagres realizados por Jesus, e no dom do Espírito Santo que veio sobre os discípulos à espera do Pentecostes. Como um milagre, seguido de outro, tornou-se uma montagem progressiva da crescente evidência de peso e importância. Este era nosso chamado! O que um conjunto vasto de pessoas santas foi usado para trazer esta oportunidade gloriosa para que chamasse nossa atenção!

VERSO 5 "Porque não foi aos anjos que Deus sujeitou o mundo vindouro, de que falamos."
Este verso tem sido usado como uma prova indireta de que o mundo antes do dilúvio estava sob a administração de anjos. Esse mundo foi realmente governado por anjos, como outros textos mostram. (II Pedro 2:4,5) Porque se Deus não poupou a anjos quando pecaram, mas lançou-os no inferno, e os entregou aos abismos da escuridão, reservando-os para o juízo; 5 se não poupou ao mundo antigo, embora preservasse a Noé, pregador da justiça, com mais sete pessoas, ao trazer o dilúvio sobre o mundo dos ímpios;” e (Judas 6) aos anjos que não guardaram o seu principado, mas deixaram a sua própria habitação, ele os tem reservado em prisões eternas na escuridão para o juízo do grande dia”.  No entanto, o autor esta se referindo ao versículo 2, onde a administração do Pacto da Lei é mencionado, em que os anjos tiveram um papel importante.
Se pensarmos na tentativa dos anjos para governar o mundo antediluviano, ou de seu serviço em conexão com a administração do Pacto da Lei, a lição do autor está enfatizando aqui evidencias que houve falhas em ambos os casos. Agora temos a certeza de que nenhuma falha ocorrerá em conexão com as disposições governamentais do mundo vindouro. Cristo será, então, o rei, e associado com ele serão aqueles que, como os seus co-herdeiros, terá atingido a "grande salvação" para viver e "reinar" com Ele.-II Tm.2:11,12 “... Se, pois, já morremos com ele, também com ele viveremos; 12 se perseveramos, com ele também reinaremos...”;
VERSO 6 "Mas em certo lugar testemunhou, dizendo: Que é o homem, para que te lembres dele? ou o filho do homem, para que o visites? "
Davi é o "um" que testemunhou, e "o lugar certo" é o Salmo 8:3-8 (Ler). Esta questão é o resultado inevitável de meditação sobre a imensidão da criação, em comparação com os esforços insignificantes do homem. As vastas forças e distâncias do Universo deveriam humilhar-nos. O Criador, que fez este vasto sistema de mundos, tem proporcionado um equilíbrio de forças que permite ao homem viver e ser feliz, fornecendo-lhe tudo com abundância. Certamente a nossa gratidão deve levar-nos a exercer a confiança suprema e confiar em tal Criador, e considerar um grande privilégio ser considerado digno de servi-lo.
A palavra “visites" significa "para inspecionar e selecionar; Ir ver, a fim de aliviar a" e, por extensão, indica que a “visita” do chefe referida profeticamente pelo salmista é a vinda do Filho amado de Deus para a terra primeiramente para redimir a raça que caiu e em seguida, para restaurar aqueles que aceitam essa prestação da graça divina. Assim Deus visita a raça humana representativamente na pessoa de seu Filho.
Muitos são lembrados e visitados por Deus de outras maneiras também, como na luz do sol e da chuva, e por meio de todas as bênçãos abundantes que diariamente são derramadas sobre nós. (Sl 116:12) Que darei eu ao Senhor por todos os benefícios que me tem feito?” Nós podemos pensar na visita de Deus como sendo a de um médico de visitar o doente, e o objetivo é que muitos podem vir a ser curado de todos os males e aflições. É assim que será realizado por Jesus.

VERSO 7 "Tu o Fizeste um pouco menor que os anjos, tu coroaste de glória e de honra, e o constituíste sobre as obras de tuas mãos."
O pensamento aqui é um pouco "menos" do que os anjos, e não "um pouco inferior", como alguns têm sugerido, em seu esforço para provar que o projeto de Deus para o homem é que ele deve vir a ser exaltado à natureza do espírito. Se quisermos entender o plano de Deus é essencial para manter esta distinção de naturezas em mente. O homem é um ser humano, uma criatura terrena, criada por Deus para habitar a Terra. Os anjos são em um plano superior da vida, e foram criados assim. Não é plano de Deus para que os homens se tornem anjos.
A glória se refere a Adão, o progenitor da raça humana, como originalmente criado por Deus. Sua glória foi a de homem perfeito, à imagem de Deus. O autor se refere a ela como uma glória 'terrestre'. (I Coríntios. 15:40)Também há corpos celestes e corpos terrestres, mas uma é a glória dos celestes e outra a dos terrestres”. O homem também foi criado para ser um rei, o rei da terra. Ele foi dado o domínio sobre os animais inferiores. Assim, ele foi dado honra, bem como glória. Este foi o "primeiro domínio" referido em Miquéias 4:8, “... a ti virá, sim, a ti virá o primeiro domínio, o reino da filha de Jerusalém”.  e "o reino preparado ... desde a fundação do mundo", mencionado por Jesus. Mateus 25:34 Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai. Possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo”;
VERSO 8 "todas as coisas lhe sujeitastes debaixo de seus pés. Ora, visto que lhe sujeitou todas as coisas, nada deixou que não lhe fosse sujeito. Mas agora ainda não vemos todas as coisas sujeitas a ele”;
Infelizmente, o homem perdeu o seu domínio, glória e honra. Agora o contemplamos na miséria e sofrimento, como resultado de sua própria vontade e desobediência. Apesar do orgulho do homem e ostentação, ele não é capaz de entregar-se do resultado de seu pecado, e agora a raça humana está ameaçada de destruição completa.
VERSO 9 "Mas nós vemos Jesus, que foi feito um pouco menor do que os anjos para o sofrimento da morte, foi coroado de glória e de honra, para que, pela graça de Deus, provasse a morte por todos."
Aqui, o autor indica claramente o propósito divino para restaurar o domínio original do homem na terra. Nós não vemos este feito, mas vemos o desenrolar desse propósito Divino na vinda de Jesus para redimir a raça caída 'vemos Jesus'. Nós vemos que Jesus foi feito a contrapartida exata do pai, que ele, como Adão, foi feito "um pouco menor que os anjos", e que esta era o fim de que ele poderia sofrer a morte, proporcionando assim um preço correspondente, estabelecendo sua vida humana perfeita para o homem perfeito, Adão, que perdeu sua vida. Foi com esse propósito que Jesus derramou a sua alma até a morte – Isaías 53:6,12 Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas, cada um se desviava pelo seu caminho; mas o Senhor fez cair sobre ele a iniquidade de todos nós”; “...porquanto derramou a sua alma até a morte, e foi contado com os transgressores; mas ele levou sobre si o pecado de muitos, e pelos transgressores intercedeu”.
VERSO 10 "Porque convinha que aquele, para quem são todas as coisas, e por quem são todas as coisas, em trazendo muitos filhos à glória, o capitão da salvação deles por meio de sofrimentos."
E ele tornou-se, isto é, foi o que devemos esperar de um Criador todo-sábio, que em seu plano de exaltar muitos, isto é, a igreja para toda glória, que ele deve ser o Capitão, o seu líder, o primeiro a atingir essa posição elevada, “perfeito através do sofrimento." O sofrimento e a morte é o caminho para a glória para todos esses filhos, e Jesus não foi exceção.
Isto não implica que Jesus era imperfeito por natureza, antes que ele sofreu e morreu. Ao contrário, ele foi desenvolvido, treinado e aperfeiçoado como nosso capitão, por meio do sofrimento. Um jovem, por exemplo, pode ser uma pessoa nobre, ainda que ele não pudesse ser um médico, até que ele fosse treinado para esse fim. Assim, Jesus foi treinado pelo sofrimento e, assim, foi aperfeiçoado para os altos cargos que ele ocupa nos arranjos divinos. Um deles é a de ser o capitão da nossa salvação.
De uma forma muito semelhante todos os membros o corpo de Jesus, seus seguidores, aqueles que ele leva à glória, convidando-os a andar em seus passos, são aperfeiçoados para a sua posição de glória com ele por meio de sofrimento e provações-julgamentos que são temperados com alegria, de modo que suas experiências como um todo ensiná-los a confiar e amar seu Pai Celestial. Como abençoado para compartilhar essas experiências com Jesus, de quem foi profeticamente escrito: "Tu contaste as minhas aflições; põe as minhas lágrimas no teu odre; não estão elas no teu livro?" - Sl. 56:8

VERSOS 11-13 "Pois tanto o que santifica como os que são santificados, são todos de um só por esta causa ele não se envergonha de lhes chamar irmãos, dizendo: Anunciarei o teu nome a meus irmãos, no meio da igreja cantarei louvores a ti. E mais uma vez, vou colocar minha confiança nele. E novamente, eis que eu e os filhos que Deus me deu."
Estes são os textos que provam e estabelecem a grande verdade da unidade da comunidade Cristo. Os discípulos de Jesus são seus "irmãos", e assim declara a referência profética de Davi (Sl 22:22) Então anunciarei o teu nome aos meus irmãos; louvar-te-ei no meio da congregação”. Para a congregação dos santificados, isto é, aqueles que são separados no plano Divino como participantes da vocação celestial.
"E mais uma vez", escreve o autor. Ele então começa a citar outro texto que prova, como se consciente da regra bíblica de que assuntos importantes devem ser estabelecidos pela boca de mais de uma testemunha. Sua segunda citação é de Isaías 8:18 Eis-me aqui, com os filhos que me deu o Senhor; são como sinais e portentos em Israel da parte do Senhor dos exércitos, que habita no monte Sião”. e refere-se a "filhos" que o Pai Celestial deu para ser os companheiros de Jesus, assim como eles eram seus irmãos. Possivelmente Jesus tinha este texto em mente quando, em sua oração, ele disse: "Eram teus, e tu me deste..." (João 17:6) É uma troca de amor entre o Pai e o Filho, uma recompensa e alegria para ambos.

VERSO 14 "Portanto, visto como os filhos são participantes comuns de carne e sangue, também ele semelhantemente participou das mesmas coisas, para que pela morte derrotasse aquele que tinha o poder da morte, isto é, o Diabo”.
Esses “filhos”, aqueles a quem Jesus não tinha vergonha de chamar seus “irmãos”, foram originalmente filhos de Adão, portanto, por natureza "carne e sangue." Para que eles sejam participantes da "grande salvação", como os irmãos do Jesus glorificado era necessário que eles fossem resgatados da morte.
Portanto, no texto explica a filosofia do resgate, que envolveu a necessidade de Jesus se tornar um homem, e como tal, morrendo o "justo pelos injustos." (I Ped. 3:18) Porque também Cristo morreu uma só vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus; sendo, na verdade, morto na carne, mas vivificado no espírito”; envolvido, também, a pessoa de Jesus “autoridade” em última análise, para destruir o diabo.
Como Satanás tem o “poder da morte”? A palavra grega aqui traduzida "poder" tem o pensamento da autoridade no sentido de "domínio". O domínio que Satanás aproveitou foi para fazer um reinado de morte e da morte. Paulo descreve-o como o (II Coríntios 4:4) nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus”. Satanás tem o seu domínio tirado, e ele próprio é obrigado no início do milênio "deus deste mundo.", E no seu fim, ele é destruído. 



VERSO 15 "E livrasse todos os que, com medo da morte, estavam toda a vida sujeitos à escravidão."
A maioria dos homens rejeita a noção de que estão escravizados, isso ofende seu orgulho. Esta é uma das razões principais porque o assunto da morte é tão evitado, porque os homens honestos teriam de confessar, sua escravidão ao temor dela. Todos os homens sabem que devem morrer, mas nem todos os homens se reconhecem como pecadores. Além disso, a morte não leva em consideração as pessoas. É a grande niveladora de todas elas. Qualquer poder, portanto, que remove seu terror é uma bênção aplicável a toda a humanidade. A abordagem cristã à morte traz libertação completa. Somente os que recusam o dom gratuito da libertação ainda estão nas sua garras.  

VERSO 16 "Porque em verdade ele não tomou sobre si a natureza dos anjos, mas ele tomou sobre si a semente de Abraão".
A palavra “em verdade” significa em outras palavras, é o equivalente a dizer "Como todos nós sabemos". A Palavra era tão conhecida na Igreja Primitiva que Jesus, em se tornar a semente de Abraão, tinha que primeiro participar de carne e sangue, e não a natureza dos anjos, que João fez dele um teste de haver ou não a fé de Deus, (I João 4:3) e todo espírito que não confessa a Jesus não é de Deus; mas é o espírito do anticristo, a respeito do qual tendes ouvido que havia de vir; e agora já está no mundo”.

VERSO 17 "Portanto, em todas as coisas que lhe convinha para ser feito semelhante a seus irmãos, de que ele poderia ser um sumo sacerdote misericordioso e fiel nas coisas concernentes a Deus, para expiar os pecados do povo."
Que profundidade da sabedoria é no plano de Deus, que Jesus deve compartilhar as desgraças e dificuldades que afligem os homens, de modo que ele poderia ser um misericordioso Sumo Sacerdote! Ele é misericordioso, porque ele percebe as dificuldades, as fraquezas que afligem os seus seguidores, e da humanidade em geral. Ele foi feito semelhante a seus irmãos "em todas as coisas." Isso não significa que Jesus era imperfeito, ou que o pecado estava arraigado em sua natureza. Seus “irmãos” são “Novas Criaturas", e Jesus foi tentado em todos os pontos como todos nós somos tentados.
Como resultado da observação e associação, no entanto, Jesus tornou-se familiar com as provações que afligem a raça humana em geral, e particularmente aqueles que se tornam novas criaturas, mas ainda temos que lutar contra os movimentos do pecado na sua carne. Isso adiciona a sua simpatia por nós, dá-lhe misericórdia e compreensão para lidar com nós como nosso advogado junto ao trono da graça. Da mesma forma, como o Chefe da classe sacerdotal que irá lidar com o mundo da humanidade durante o milênio, ele também será simpático, e terá prazer em fazer todo o possível para ajudar os arrependidos da raça humana de volta à perfeição e completa comunhão com o Pai Celestial, o Criador.

VERSO 18 "Porque naquilo que ele mesmo sofreu, tendo sido tentado, é poderoso para socorrer os que são tentados."

Jesus sofreu muita agonia da mente e do corpo, em vez de ceder ao mal. Assim, ele foi “tentado”, então sabe como trazer a nossa ajuda as coisas que o ajudaram em seus momentos de necessidade. Essas coisas são sugeridas para nós através da Palavra, e é aí que somos instruídos no uso apropriado de todos os meios da graça divina disponibilizados através do nosso sumo sacerdote misericordioso e amoroso. Quando vamos para o Pai em oração, podemos ter certeza de que o mérito de seu sacrifício foi aplicado em nosso nome e também estamos certos de que nossos esforços insignificantes e imperfeitos são aceitáveis. Ele é capaz de prestar ajuda pelo poder da simpatia, conhecimento, experiência e. Para isso, ele foi totalmente treinado.

7 comentários:

  1. Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
    reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho.Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns, decerto que virei aqui mais vezes.
    Sou António Batalha.
    Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
    PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.
    http://peregrinoeservoantoniobatalha.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  2. Excelente estudo. Deus continue abençoando a sua vida. Se desejar, passe no meu Blog para ler algumas matérias.

    marleneecarloscumprindoochamado.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Deus abençoe grandemente e o capacite a cada dia. Muito obrigada.

    ResponderExcluir
  4. Ampliou meu horizonte sobre aplicabilidade do Sl 4:3-6.

    ResponderExcluir
  5. Muito bom mesmo esse estudo me ajudou muito
    Parabéns

    ResponderExcluir
  6. Amem,Deus Abençoe🙏 Aprendi Muito ❤️🙏

    ResponderExcluir